Amazon.com

sábado, 12 de novembro de 2016

Dólar como Hedge: O Seguro dos Pequenos Notáveis

Minha relação com o dólar é especial e obrigatória, pois atualmente vivo com um pé em cada país (embora este ano eu esteja sendo demandado muito mais aqui do que nos EUA). Essa minha situação especial sempre me forçou a ter reservas e investimentos em ambas as moedas e, confesso que quando comecei a acumular tanto R$ como US$ não tinha ideia que existia o tal do "Hedge".

O tempo foi me apresentando esta estratégia pois sempre que o Bovespa despencava minhas dolletas decolavam. A sensação de ter estes "poderes antagonistas" foi muito boa. E ainda o é.

Pode afundar, Bovespa!

Para fazer uma proteção dessas o primeiro passo é ser pragmático, empírico e cético, pois veja bem, a poucos dias todos recomendavam que, caso tivesse dólares, que os vendesse, pois a vitória previsível da Jail Hillary iria valorizar nossa moeda e a bolsa iria subir, muito. De Ricardo Amorim (quem eu respeito muito e acompanho sempre) a diversos outros veículos amplamente respeitados no cenário nacional e internacional, todos davam como certo o cenário. Pense em  como eu me sentia uma topeira segurando meus dólares e pensando que poderia colocar isso na bovespa e ganhar dinheiro.
Como eu não confio no meu instinto e sim em minha estratégia, fiz o que deveria fazer, nada.


Amigas populistas, quem as viu quem as vê!

Com os títulos do tesouro tem acontecido algo semelhantes, todos dizem para se desfazer de títulos atrelados a SELIC e outros investimento de renda fixa que usam o CDI como parâmetro.
Faz sentido, mas eu já diversifiquei para não ter de pensar nisso, estou pronto para a maioria dos cenários conhecidos, uma pena talvez não estar pronto também aos desconhecidos, pois como diz Nassim Taleb, o problema é o quê você não sabe que não sabe. 

Faz sentido que os títulos atrelados a Selic realmente venham a desvalorizar por agora? Sim, muito possível, aparentemente é o que vai ser. Mas como eu já sou um pouco vivido neste mercado, sei que muito possível e a ocorrência factual se desencontram muito e, o futuro, sempre mais imprevisível do que conseguimos ver de nos pequenez, por esses fatores mantenho meus investimentos inalterados, se eu perder com a Selic ótimo, tenho investimentos que vão na contramão disso e que vão balancear o custo de oportunidade.

Forte Abraço!

APR

sábado, 5 de novembro de 2016

Self-Actualisation: O quê um homem pode ser ele deve ser.


“What a man can be, he must be. This need we call self-actualisation.” – Abraham Maslow




As pessoas não gostam de ficar sozinhas. Na verdade, elas tem medo de ficar sozinhas. É só observar o exemplo dos presídios, quando querem dar a punição máxima a algum detento (que já está absolutamente na merda) o que eles fazem? Mandam para a solitária.


O ser humano é um ser social, averso a solidão e louco por validação social. Essa validação social é, provavelmente, o que move a economia, mas este é outro assunto.

O problema em ser um ser social em busca de validação dos pares é que criamos uma resistência a estarmos sozinhos de forma produtiva. Veja bem, é relativamente simples ficar sozinho e solitário, mas não é este o ponto. Não estamos falando sobre isolamento devido a complexos pessoais e sociais, vício em tecnologia e informação ou masturbação. Estamos falando sobre o "retiro produtivo", o isolamento em busca de "self-awarness" e desenvolvimento de projetos pessoais específicos.



O principal objetivo da self-awarness é saber QUEM você é e, principalmente, O QUÊ você quer. Você não atinge este estado de consciência rodeado de pessoas. Algumas culturas pregavam uma longa caminhada solitária na mata, outras longos períodos de meditação na natureza, etc.
Seria o equivalente a uma longa caminhada sozinho, camping, pesca, etc.

Descobrindo quem você é e o que quer, aí sim você vai direcionar seus desejos e atos em busca disso e cortará todas as distrações no caminho. Estar consciente é saber investir em você no longo prazo e parar de contabilizar prejuízos em tempo, como excesso de informação, pornografia, etc. No começo é difícil saber utilizar bem o tempo afim de evoluir algo, mas o grande lance é evitar o inútil que traz o prazer sensorial rápido e sem esforço, como comida. Durante este período, é melhor focar em atividades domésticas como lavar louça do quê partir para os prazeres que vem te mantendo na merda, ocupando seu tempo que não volta e tirando sua energia.

 Com tantos prazeres fáceis, fica fácil entender por quê tantas pessoas atingem a velhice sem ainda saber por quê estão aqui, ficaram confinados na zona de conforto dos prazeres sensoriais.

Outro objetivo seria a auto-suficiência. É descobrir que você não depende de absolutamente ninguém para sobreviver, ser feliz e atingir seus objetivos.

Na cultura americana do MGTOW, eles chamam este processo de Monk Mode, que seria o equivalente a se isolar em busca de aperfeiçoamento e voltar reforçado ao convívio social.
Eu prefiro ver o processo como Abraham Maslow o descreve, como uma atualização pessoal consciente.

No fim, independente de como você chama esse processo, os referenciais são os mesmo, corte das distrações, não se auto-enganar, estar consciente que está consciente e foco nos objetivos.

Pontos importantes a se ressaltar:

1- Mesmo que o desenvolvimento físico não seja seu objetivo ou prioridade, ele deve ser levado a sério, uma vez que a sua energia e bem-estar estarão sempre ligados a sua máquina. Não estou dizendo que você deve se tornar maromba ou Mr. Fitness, mas não deves ser sedentário. Isso é tudo. Pratique algum esporte e se alimente bem. Mais que isso só se realmente for parte de seu objetivo.



2- Se o principal objetivo de sua vida for "juntar dinheiro" você sai da Matrix e entra na Matrix 2.0 Turbo Extra Power. Dinheiro é bom, mas ele é parte do processo e não o fim em si. Um dos meus objetivos é ter o máximo de experiências em outras culturas, e isso demanda dinheiro. Outro objetivo que tenho é o bem-estar da minha família e proporcionar boas experiências a eles, e isso também demanda dinheiro. Por isso o dinheiro é um meio, nunca um fim.

Como eu vejo materializada a IF de muitos 

3- Se aposentar pode até ser seu objetivo, mas cuidado, você vai se aposentar para fazer o quê? Assistir Netflix e trocar de carro todo ano? Furada. Veja bem quem chegou no topo da pirâmide, como Bill Gates, Warren Buffet, Steve Jobs, Jack Ma e outros, nenhum deles parou de trabalhar, eles provavelmente trabalham mais do que nunca. É por quê precisam? Não. É por quê PODEM! É o que eles querem, é o trabalho que eles querem executados da forma que eles acreditam. Isso é ser foda! Agora, aposentar e ficar gastando tempo até morrer é não ter entendido a vida. É ser um peso morto!

Nossas necessidades são mal compreendidas, nosso tempo mal utilizado, nossa consciência é quase só a coletiva. Nós, seres humanos, administramos mal nosso tempo por não entender nossas necessidades. Veja bem como Maslow categorizou isso:





sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Livros Favoritos do APR

 Edit: Pouco tempos após minha postagem a Business Insider fez uma publicação sobre os livros favoritos do Warren Buffett. Como ele é quase tão conhecido como eu (risos do Mun-Ha) resolvi deixar o link aqui: http://www.businessinsider.com/warren-buffett-favorite-books-2015-10

Eu tenho alguns bons hábitos. Ler é um destes hábitos. Mas nem sempre fui assim, já fui de torcer o nariz para leitores assíduos de livros. Hoje os compreendo bem. Fico até pensando se, no futuro, vou concordar com muita coisa que discordo hoje. O ser humano é uma hipocrisia ambulante.

 Livros são uma eterna fonte de conhecimento, um acervo pessoal de conhecimentos do seu interesse, eu atualmente mais releio o que já tenho do que de fato leio novos livros. Meu perfil de livro deve ser o mesmo dos Senhores, livros do universo das finanças. Gosto também de filosofia. Mas leio muito menos. Detalhe importante: Os livros aqui elencados não estão em ordem de preferência, coloquei em uma ordem aleatória sem critério.

- Men, Women & Money:

Para quem curtia o reality show "Shark Tank" e, em especial, o Kevin O'leary (Mr. Wonderful) fica aqui minha recomendação. Para quem não conhece, o cara criou uma empresa de educação e vendeu por um valor bilionário e hoje se dedica, entre outras atividades, a um reality show onde as pessoas apresentam sua ideia de empreendedorismo/plano de negócio e eles os "Sharks" (todos muito ricos, como Mark Cuban) fazem (ou não) propostas de parcerias para custear o negócio.

O livro é muito básico, mas é um mestre da frugalidade expondo seus conceitos em educação financeira. Acredito que não exista uma versão em português. Mas se não sabe inglês ainda, dá seus pulos, boa parte dos bons conhecimentos terrestres estão em inglês.


- A Lógica do Cisne Negro:

Nassim Taleb é simplesmente um gênio, um filósofo do mundo financeiro. É um dos caras mais badalados dos fóruns financeiros e afins nos dias de hoje, o livro trata da incidência do imprevisível e nossa vulnerabilidade e ignorância quanto a isto. É genial, leia.





- O Investidor Inteligente:

A bíblia de Benjamin Graham, simplesmente o professor de Warren Buffett. Este é sem sombra de dúvida um dos livros mais respeitados do mercado financeiro. Eu pulei muitas partes e já reli outras muitas vezes também. Após ler o livro nunca mais saí do equilíbrio saudável entre RF e RV. Lembro bem como isso foi marcante.



- Crash

Esse livro é fantástico, trata das bolhas que o mundo já viveu, os grandes colapsos, quebra de civilizações e tudo mais. Se vc gosta de finanças e história achou seu livro.




- O Príncipe

Maquiavel é um dos caras mais mal interpretados do passado e o é até os dias de hoje. Aos olhos menos aguçados pode parecer um livro um pouco insensível em alguns temas, mas era a realidade política da época e era voltado ao principado, ou seja, a quem tem de tomar decisões com efeitos colaterais o tempo todo. Em todo caso, valem muito os conhecimentos, guarde o que concorda e descarte o que não.


- Good to Great

Livro excepcional, trata do que difere uma empresa excepcional de uma empresa boa, fazendo um estudo histórica muito relevante. Livro excelente aos colecionadores de ações e empresários em geral.
Não sei se tem uma versão em português, eu sei que eu poderia ter pesquisado mas, veja só, você também pode!


- Stocks for the Long Run:

Este livro, salvo engano, tem versão em português traduzido pelo Bastter. Inclusive, grande parte da "Filosofia Bastter" talvez fosse com justiça melhor declarada como "Filosofia Siegel por Bastter". O que não diminui em nada o mérito do Bastter, que para mim é um dos (senão O) maiores educadores financeiros que já nasceu em Terra Brazilis.



- Livros para crianças:

Veja bem, veja bem, não estou dizendo que são livros infantis, acho que o que explicaria melhor meu ponto de vista seria: "Livros que eu gostaria de ter lido quando criança mas já li mais velho".

São livros com paródias que infiltram os bons conceitos da educação financeira. Meu filho certamente vai ler estes dois que, certamente os Senhores já leram:








Estou sempre aberto a sugestões para novas leituras, caros investidores.

Um forte abraço

ADP

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Ferramentas de Consulta para Ações

Boa tarde, Senhores. 

Devido a correria diária e a procrastinação latente, tenho deixado este blog às moscas. Não que alguém tenha notado. No fim das contas tudo se resume a falta de inspiração. Alguns bloggers tem uma capacidade quase ilimitada de gerar conteúdo. Eu não, 90% do que escrevo não publico pois realmente acho um lixo. Mas vez ou outra sai alguma coisa, como hoje.

Antes de mais nada, gostaria de agradecer a Vale, que vem me alegrando de forma consistente nos últimos pregões, quem comprou lá embaixo agora é sentar nos papiros e acompanhar o show.

Hoje vim "abrir a caixa de ferramentas", mostrar um pouco das ferramentas que um mero investidor/especulador como eu utiliza no levantamento de informações acerca de empresas listadas em bolsa, para posterior tomada de decisões. Vamos a eles:

1- Fundamentus: Excelente para levantamento de indicadores fundamentalistas ( http://fundamentus.com.br)

Acredito que a gigantesca maior parcela dos investidores (b&h) conhecem tal ferramenta.

Segue alguns dos serviços que o site oferece:


    - Dados fundamentalistas e financeiros das empresas;
    - Balanços patrimoniais e demostrativos em Excel;
    - indicadores diversos como ROE, PL, P/VP, etc;
    - cotações desde 1998!

    2- Bastter: Excelente para análise crítica das empresas (http://www.bastter.com)

    A filosofia Bastter faz sentido para mim e aplico boa parte dela (com algumas ressalvas pontuais).

    No Bastter você além de encontrar discussões de altíssimo nível nos murais das empresas, ainda conta com diversas funcionalidades, como indicadores das empresas, balanços atualizados e um MARAVILHOSO gráfico de relação LUCRO X COTAÇÃO, que no fim é a verdade quase absoluta dos preços no LP.

    3- Lopes Filho: Análise Fundamentalista, Análise Gráfica, Análise de Risco e Estudos Macroeconômicos (http://www.lopesfilho.com.br)

    O blog do Lopes Filho é muito completo e eu respeito muito suas análises. Quem é cliente XP tem acesso gratuito aos conteúdos gerados (ou ao menos parte dele).

    4- Empiricus: Excelente para se manter informado (http://www.empiricus.com.br)

    Eu sei que muitos especuladores torcem o nariz para a Empiricus, mas em minha experiência pessoal vale muito a pena sim. Eu conheço bem os materiais pois já fui assinante de diversos. A grande maioria muito útil, outra parte nem tanto. É claro que nem só de acerto vive a Empiricus, mas eles tem sim muito mérito e valor.

    5- Informações financeiras/Notícias Financeiras: Sim, eu sei que notícias e cotações são MUITO conflitantes. Mas ainda assim gosto de me manter antenado com os mercados, então acompanho alguns portais de notícias, embora não os leve muito a sério.

     Os principais que acompanho são:

    http://www.bloomberg.com.br - Bloomberg Brasil
    - http://www.businessinsider.com - Business Insider
    - http://www.infomoney.com.br - Infomoney
    - http://www.valor.com.br/financas - Valor Econômico


    Certamente estou esquecendo algo, mas conforme for lembrando vou editando o artigo.

    Um forte abraço a todos e bons lucros!


    sexta-feira, 24 de junho de 2016

    Gigantes do Brasil - Série Documental

    Hoje vim compartilhar algo muito bacana com vocês, em especial aos que tem uma veia empreendedora, a série documental "Gigantes do Brasil".

    A série é dividida em 4 episódios cada um tratando de um legado diferente da primeira geração de empreendedores no Brasil, sendo os protagonistas os Matarazzo, Martinelli, Guinle e o americano Farquhar.


    Mesmo sendo uma série tão curta sobre um assunto que poderia ser tão melhor explorado e com os diálogos parecendo que foram escritos por uma criança e um macaco (com o macaco em posição de liderança), vale muito a pena dedicar um tempo a vê-las. Eu assisti todas na sequência madrugada a dentro, fiquei vidrado.

    Não vou entrar em detalhes sobre as séries pois todo mundo odeia spoilers.

    Os Matarazzo:

    Os Martinelli:

    Os Guinle:
    Farquhar:


    quarta-feira, 30 de março de 2016

    Educação Financeira x Investimentos Sofisticados

    Eu já estava ausente há algumas semanas, não por ter desistido do blog ou qualquer coisa que o valha, mas por estar em uma dieta muito restrita de internet. E o que parece muito difícil no começo se mostra libertador após um tempo. Finalizada a lamúria, vamos ao que interessa: Investimentos e afins.

    Representação fiel do dia-a-dia que o ADPR vinha levando. Só não abri mão das altas doses de cafeína

    Sou direto em dizer que mais vale a educação financeira do que o conhecimento sofisticado em investimentos. Fora alguns pontos fora da curva, o que observo com clareza é que é muito mais fácil alguém dar um Up na vida sendo bem educado financeiramente mas sem grandes conhecimentos em progressões gráficas de fibonacci do quê o contrário disso. Nesta palestra o Lirio Parisoto fala algo próximo disso, vale conferir caso não conheça (se você não sabe quem é o Lirio se informe, o cara é tipo um Barsi com anabolizantes):

    https://www.youtube.com/watch?v=temX-vIY8Zc

    A educação financeira trás grande tranquilidade e isso nem os aportes pagariam. Não são precisos grandes aportes para começar a viver melhor financeiramente, eu até acho que os chimpas jovens tem de aportar menos e investir mais em carreira/negócios para aumentar a renda, pois muitos começam aportando uma grande parcela do pouco que ganham e não enxergam que isso está os mantendo ganhando pouco permanentemente. Investir em você é pegar um atalho rumo a independência financeira.



    Dica rápida pra quem tá fora de forma financeiramente:

    1- Cancele os aportes e salde todas as dívidas de sua vida, olhar a posição consolidada é bom mas seu ego te custa a maior taxa de juros do planeta;
    2- Aprenda a viver com o quê se ganha e fazer sobrar a gordura dos aportes, sempre dá para viver mais barato. novamente vença o ego, viva sua realidade e a melhore com o tempo;
    3- Estude e/ou empreenda e pratique esportes;

    No mais a vida é simples, corra atrás do que você quer, proteja os seus e todo o resto é fraqueza.



    Fora PT.

    Forte abraço

    quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

    Vendam Tudo Pois Estou Comprando!

    "Numa sala cheia de gente as portas de saída nunca serão suficientemente grandes"  -  Assim disse o analista chefe de crédito do Royal Bank of Scotland em um relatório de investimentos onde ele basicamente recomenda vender tudo e se preparar para um cataclisma financeiro em 2016. Feliz ano novo.


    Não é o primeiro e nem será o último a alertar sobre o caos econômico que só vem crescendo no mundo todo. Como em qualquer boa crise os profetas do apocalipse estão por todos os lados. 2016 promete! Bolha chinesa, petróleo e tudo mais a que uma crise histórica tem direito. Os saberetas do momento dizem que existe muita similaridade entre os movimentos atuais e os ocorridos pré-2008. 


    Figura 01- Fujam, crianças. Fujam! Quando souberem o que estão fazendo podem voltar.


    Tá certo que a situação é preocupante, mas vamos a suas opções:

    A- Você vende todos os seus ativos e saca todo o seu dinheiro esperando o apocalipse financeiro, zumbi, guerra dos mundos ou o que seja. Em um evento deste porte seu dinheiro físico valeria NADA, exatamente o quê valeriam seus investimentos. 

    B- Você começa a migrar seus investimentos de cá pra lá e de lá pra lá (Dilma Style) alimentando o sistema, bonificando corretores e enchendo a barriga das corretoras.




    C- Você segue a porra do plano, e segue diversificando em ativos de valor pois sabe que prever o futuro é coisa de gente maluca.

    Lembre-se, jovem padawan, o terrorismo midiático enche muitas barrigas, mas não a sua. Siga o plano. Se não tem um plano...tenha um plano!